Entrevista com Lucas Moraes e seu pai.


1º COLOCADO GERAL E ABSOLUTO NO CONCURSO DE ADMISSÃO AO COLÉGIO MILITAR DO RIO DE JANEIRO

Foto do Colégio Militar do Rio de Janeiro

 

  Lucas Moraes é, agora, aluno do Colégio Militar do Rio de Janeiro. Ele iniciou o 5º ano do nosso Colégio - Curso Equação - um 5º ano direcionado aos concursos - e, com apenas um ano de preparação, conseguiu a façanha de ser o primeiro colocado geral e do Brasil neste segmento.


Confira a entrevista que ele e seu pai – Marcelo – deram para o site do nosso colégio:

 

1.  Equação: (Lucas) Quando você decidiu fazer a prova para o Colégio Militar?

 

No início de 2013, quando meu irmão começou a estudar no colégio militar. O fato de meu irmão ter passado me estimulou a tentar o concurso também.

 

2.    Equação: (Marcelo) Por que o Senhor escolheu o Colégio-Curso Equação para que o Lucas fosse   preparado?

 

Escolhemos o colégio Equação porque no ano anterior o Gabriel, meu filho mais velho, havia feito um módulo de português direcionado para a 2ª fase da prova do colégio militar e a experiência dele com o colégio foi a melhor possível, tanto pela qualidade dos professores quanto pela maneira com a qual o colégio conduz os relacionamentos com as crianças.

 

3.  Equação: (Lucas) Quando você iniciou a sua preparação no Equação imaginava que seria o primeiro colocado?

 

Não. Achava que pelo ritmo que estava estudando passaria, mas não pensava na primeira colocação. Com a nota da 1º fase, de matemática, passei a ter esperança e, sinceramente, queria muito.

 

4.    Equação: (Lucas) Já havia prestado algum outro concurso?

 

Não. Jamais havia prestado qualquer outro concurso.

 

5.   Equação: (Lucas) Como foi a sua preparação, no Colégio Equação, para a prova?

 

 Foi boa. O Equação tem um ótimo ensino. Eu fazia todos os trabalhos que eram passados pelos professores, estuda a teoria e também fazia provas de concursos anteriores. Depois os professores corrigiam as provas e explicavam os exercícios. Além disso, os professores sempre davam dicas sobre como me comportar na prova.

 

6.   Equação: (Lucas e Marcelo) Como vocês conheceram o Colégio-Curso Equação?

 

Conhecemos o colégio pela propaganda feita a porta do colégio militar, no dia da 1ª prova do concurso de 2013. Ao ligar para o colégio, fui atendido pelo Prof. Luiz Henrique que tanto pela simpatia quanto por sua competência ao expor a metodologia de trabalho do colégio e ao apresentar suas instalações, nos convenceu de que a decisão pelo colégio Equação era a que melhor iria atender à nossa família.

 

No ano seguinte, com o Gabriel já cursando o CMRJ, não tivemos qualquer dúvida quanto à escolha do Equação para a preparação do Lucas.

 

7.  Equação: (Marcelo) A preparação dada pelo Equação atendeu às suas expectativas?

 

A preparação dada pelo Equação foi impecável. Durante todo o ano, em todos os aspectos, jamais houve uma situação que não merecesse elogios e a mais sincera gratidão de nossa parte. Os professores são excelentes, sabem lidar com as crianças e a administração do colégio sempre foi cordial e acolhedora para conosco.

 

8.     Equação: (Lucas) Como era sua rotina de preparação no Equação?

 

Acordava pela manhã, ia ao colégio, assistia as aulas e fazia os exercícios. Quando chegava em casa, após o almoço estudava a matéria que tinha sido dada e adiantava o estudo do livro de matemática da escola. Quando acabei de estudar a teoria, fiz o livro de atividades, que mesmo não tendo sido proposto como obrigatório pela escola, foi sugerido pelo professor Luiz. Quando acabei de fazer o livro de atividades, passei a fazer as provas dos concursos anteriores.

 

Fazia uma prova por dia, corrigia a prova e refazia as questões que tinha errado. Quando não conseguia chegar à resposta, pedia explicação ao meu pai e quando meu pai também não conseguia fazer, pedia explicação aos professores.

 

Comecei a fazer as provas anteriores no mês de Julho e no último mês de preparação já havia feito todas as provas anteriores. A partir daí, passei a refazê-las, duas por dia. Mas fazia apenas as provas de matemática, a mais difícil. Assim que passei para a segunda fase, passei a fazer as de português. Nesse momento fazia duas provas por dia e uma redação. Sempre levava a redação para o meu pai corrigir e depois para o meu professor. Sempre recebia dicas das redações.

 

9.  Equação: (Lucas e Marcelo) Vocês indicariam o Equação para outros candidatos?

 

Indicamos o Equação a qualquer família que busque dar a seus filhos uma preparação de qualidade; seja na preparação para outros concursos, seja para dar continuidade ao ensino fundamental e médio no próprio colégio. Caso o Lucas não tivesse passado, o desejo dela teria sido o de permanecer no colégio equação. E, sem dúvida, esta teria sido a decisão de nossa família.

 

10. Equação: (Marcelo) Que pontos positivos podem ser destacados em ter seu filho preparado pelo    Equação?

 

O preparo foi condizente com a necessidade de uma prova com o nível de dificuldade da do CMRJ. Os professores são de altíssimo nível e totalmente comprometidos com a formação das crianças. Mesmo assim, meu filho não se sentiu sobrecarregado momento algum durante o ano. Fez amigos no colégio, adorou os professores e ia para escola feliz. Meu filho realizou o sonho de passar no colégio que tanto queria, continuou sendo a criança que todo garoto de 10 anos deve ser e carregou saudades do tempo de Equação. Isso é o mais importante.

 

Quanto ao trato com a Administração do colégio, sempre acolhedora, flexível e respeitável. O Equação primava pela qualidade sem abrir mão dos valores. No nosso caso, os valores eram considerados ainda mais importantes do que a qualidade do ensino. O resultado foi essa colocação tão alta ter sido alcançada sem qualquer carga emocional danosa ter sido imposta ao meu filho.